27 maio 2010

PASSION - WT2010 São Paulo.

video

Este evento é para universitários, pessoas com idade de 17 a 25 anos, e seus líderes de ministério.
O preço para o PASSION São Paulo 2010 é de R$25.
Datas: 3 e 4 de Setembro

É necessário fazer inscrição neste site: http://www.268generation.com/wt2010/new/#/saopaulo/about/alt


Se interessar de ir no PASSION - WT2010 Falar com Lucas, Gabi ou Nilo
    • Jovens que tenham entre 17 e 25 anos, estando matriculados em uma faculdade ou universidade, ou não.

    • Jovens com mais de 25 anos, mas que estejam matriculados em uma faculdade ou universidade.

    • Líderes com idade acima de 25 anos poderão participar do evento no caso de estarem trazendo um grupo de estudantes/jovens na idade estipulada.

    • Pessoas maiores de 25 anos e que não estejam matriculadas em uma faculdade ou universidade, e que não estejam trazendo um grupo e desejem, poderão ser voluntárias na conferência. Veja link de inscrição para voluntários na pagina principal do site.

    • Todas as inscrições devem ser feitas on-line e pagas via boleto bancário em qualquer agência bancária até o vencimento. Não será possível recebermos inscrições pelo correio, nem via fax. Sua inscrição será validada automaticamente quando o pagamento for efetuado. Guarde seu recibo para trazer ao evento.

    • O número de assentos para a conferência é limitado e para que todos tenham a oportunidade de se inscrever, pedimos que você pague o seu boleto em dia. O seu boleto bancário terá validade de 5 dias. Após esse período, caso o pagamento não tenha sido efetuado, a sua inscrição será cancelada automaticamente. Para garantir a sua participação na conferência será necessário que você reinicie todo o processo de inscrição.

    • Todos os participantes deverão inscrever-se previamente através do website do Passion World Tour / Passion São Paulo 2010.

    • Uma vez previamente registrados e com o pagamento validado através do boleto bancário, você estará confirmado em nosso sistema.

    • No dia da conferência, você deverá fazer o check-in, trazendo o seu número de inscrição e recebendo as credenciais para a os dois dias de conferência.

    • Não serão aceitos cheques nem transferências bancárias.

24 maio 2010

Capítulo 14 - Medo de Deus sair da minha caixa - O único terror saudável (Mateus 17: 6, 7)

Tó:

Capítulo 14 - Medo de Deus sair da minha caixa - O único terror saudável (Mateus 17: 6, 7)

Caixas trazem ordem ao nosso mundo. Elas guardam as coisas, sem deixar que caiam ou derramem. São mestres em conter coisas. Mas no que se diz respeito a explicar pessoas, elas falham. E no que se diz respeito a definir Cristo, não há caixa que funcione. As pessoas tentavam rotulá-lo, mas não conseguiam. Nós ainda tentamos. Coitado de nós.

Toda vez que precisamos de uma vaga ou um sinal verde, esfregamos nosso “Jesus faça-me-um-favor”. Muitas vezes esfregamos nosso “Jesus me-dá-um-dinheiro”. Muitas vezes reduzimos Cristo a um punhado de doutrinas. Achamos que Ele é uma receita, e nós temos os ingredientes. É só misturá-los corretamente e o “Jesus criado-por-mim” aparece.

Deuses do tamanho de caixas. Você os encontrará bem guardados por pessoas que preferem um Deus que eles podem administrar, controlar, prever. Em um mundo fora de controle, precisamos de um deus que possamos controlar, uma presença reconfortante que se assemelhe a um cachorro, ou um gato no colo. Chamamos e ele vem. Fazemos carinho e ele ronrona. Se pudermos manter Deus em seu lugar...

Leia Mateus 17. No versículo 6, “Os discípulos prostraram-se com o rosto em terra e ficaram atterorizados”. Esse é o medo do Senhor. A maioria dos nossos medos são venenosos. Eles roubam o sono e saqueiam a paz. Mas esse medo é diferente. “De uma perspectiva bíblica, não há nada neurótico em se temer a Deus. O que é neurótico é não ter medo, ou ter medo da coisa errada. Quando Deus é totalmente revelado a nós e ‘cai nossa ficha’, aí experimentamos a conversão do nosso medo... O ‘Medo do Senhor’ é o reconhecimento profundamente são de que não somos Deus”.

À medida que o medo de Jesus se expande, os medos da vida diminuem. Um Deus grandioso se traduz em grande coragem. Uma pequena visão de Deus não gera coragem. Um Jesus fraco, débil e impotente não tem poder sobre células cancerosas, corrupção, roubo, quebra na bolsa de valores ou calamidades. Um Jesus dobrável e portátil pode caber em uma bolsa e prateleira, mas não faz nada pelos seus medos.

Assim é com Cristo. Quanto mais vivemos nele, maior ele se tornará em nós. Não é que ele mude, mas nós mudamos; o vemos mais. Vemos dimensões, aspectos e características que nunca vimos antes. Descartamos caixas e antigas imagens de Cristo. Definir Jesus como uma doutrina ou confiná-lo a uma opinião? De jeito nenhum. Mais fácil capturarmos o Caribe com uma rede de caçar borboletas do que capturarmos Cristo em uma caixa.

No fim respondemos como os apóstolos. Nós, também, caímos de cara e reverenciamos. E, quando o fazemos, a mão do carpinteiro se estende. “Levantem-se! Não tenham medo” (Mateus 17:7).

Tchau.

21 maio 2010

Meditação

Li uma passagem da bíblia ontem e me senti incomodado pra compartilhar com vocês. Sabe aquela coisa de abrir a bíblia ler a primeira coisa na qual você bate o olho? Então:

"Não se ponham em julgo desigual com descrentes. Pois o que tem em comum entre a justiça e a maldade? Ou que comunhão tem pode ter a luz com as trevas? Que harmonia entre Cristo e Belial? Que há de comum entre o crente e o descrente? Que acordo há entre o templo de Deus e os ídolos? Pois somos santuário do Deus vivo. Como disse Jesus:
"[...]saiam do meio deles e separem-se", diz o Senhor.
Não toquem em coisas impuras, e eu os receberei.". (2 Coríntios: 14-17)

"Amados, visto que temos essas promessas, purifiquemo-nos de tudo o que contamina o corpo e o espírito, aperfeiçoando a santidade no temor de Deus". (2 Co 7:1)

Meditem.
Abraço, fiquem com Deus. Bom final de semana.

17 maio 2010

Capítulo 13 – Medo das calamidades globais - Mateus 24: 4-14

Pessoal... sinto falta dos comentários de vocês. Por favor, isso é importante! Esse é o penúltimo capitulo, e está muito bom! Força, vai lá:

Capítulo 13 – Medo das calamidades globais - Mateus 24: 4-14

A vida é uma empreitada perigosa. O poder de aniquilar a humanidade parece estar nas mãos de pessoas que realmente podem fazê-lo. Se as informações secretas caírem em mãos sinistras... Se a temperatura global subir mais alguns graus... Se a pessoa errada apertar o botão vermelho errado... E se as coisas só piorassem?

Cristo nos diz que elas vão piorar. Ele prevê resgates espirituais, inquietação ecológica e perseguição mundial. No entanto, no meio disso tudo, ele defende que a coragem ainda é uma opção.

Vou pedir um favor à vocês. Leiam Mateus 24: 4-14. O texto não é grande, e é leitura obrigatória para você entender melhor esse resumo de capítulo! Sério! Esse texto nos diz que as coisas vão piorar muito, muito mesmo, antes de melhorarem.

Abram seus olhos e atentem as próximas linhas! Ele começa sua palavra com: “Cuidado, que ninguém os engane. Pois muitos virão em meu nome dizendo: ‘seu sou o Cristo! ’ e enganarão a muitos” (v. 4 e 5). Note a dupla aparição da palavra muitos. Muitos enganados e muitos enganadores. Igrejas são berço para alimentar egomaníacos disfarçados de ministros de Deus. Eles o farão “em nome dele”, alegando um status especial, uma espiritualidade superior. Eles se gabam de terem informações especiais e adornam ensinamentos com frases: “Deus me disse...”, “Deus falou a mim...”. Eles se apresentam como gurus religiosos, decifradores de códigos, membros de um círculo seleto, inferindo que têm acesso a conhecimentos indisponíveis à pessoa comum. Alguns até mesmo se posicionam como o próprio Jesus, “dizendo: ’Eu sou o Cristo’” (Mt 24:5). Vocês já devem ter visto essa cena, ou pelo menos ouvido falar.

Multidões e milagres. Grandes platéias, feitos espetaculares. Multidões de pessoas. Demonstrações de poder. Quando vocês os vir, CUIDADO. O volume alto não quer dizer fé saudável. Não se impressione com números ou truques. Satanás pode falsificar ambos.

A natureza é uma criação grávida, de nove meses. O universo está passando pelas horas finais antes do parto. A previsão inclui contrações dolorosas. E também inclui conflitos; “guerras e rumores de guerras”. Uma nação invadindo a outra. Uma superpotência desafiando outra.

O ódio persiste. O Movimento de Evangelização Global relata uma média de 165 mil mortes de cristãos perseguidos por ano, mais do que quatro vezes o número de um século atrás. “Então eles os entregarão para serem perseguidos e condenados à morte, e vocês serão odiados por todas as nações por minha causa. Naquele tempo muitos ficarão escandalizados, trairão e odiarão uns aos outros, e numerosos falsos profetas surgirão e enganarão a muitos. Devido ao aumento da maldade, o amor de muitos esfriará” (MT 24: 9- 12).

Você deve estar pensando: onde está a palavra de força, persistência na fé, deste capítulo? Aqui:

Depois que as bombas da 2ª Guerra devastaram Varsóvia, da rua principal só sobrou o esqueleto. A estrutura mais danificada foi a sede polonesa da Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira. E as palavras na única parede que restou eram claramente legíveis da rua: “Os céus e terra passarão, mas as minhas palavras jamais passarão”. Você não foi o único a arrepiar ao ler isso, pode ter certeza. Essa é a imagem da esperança cristã. Embora o mundo possa estar em colapso, as obras de Cristo perdurarão.

Todas as coisas, grandes ou pequenas, vêm do propósito de Deus e servem à sua boa vontade. Quando o mundo perece fora de controle, ele não está. Quando senhores da guerra parecem estar no comando, eles não estão. Quando catástrofes ecológicas dominam o dia, não deixe que elas o dominem. E lembre-se: Tudo vai dar certo no fim. Se ainda não deu certo, ainda não é o fim.

Fiquem nessa paz e tenham uma boa semana.

Abraços do Galho.

10 maio 2010

Capítulo 12 - Medo de que Deus não exista

Vamos continuar na leitura aqui. Tá acabando, rapaziada! Vai lá o 12º capítulo:


Capítulo 12 – Medo de que Deus não exista (Lucas 24:38)

O medo de que Deus não exista. O medo de o “porquê” não ter resposta. O medo de uma vida sem rumo. As sombras geladas, silenciosas e horríveis da solidão em uma vale. O vale da sombra da dúvida. Até certo ponto todos nós nos aventuramos no vale. Em determinado momento todos nós precisamos de um plano para escapar dele.

Como Cristo responde quando duvidamos dele? Aqueles que duvidam periodicamente de Cristo tomem nota e criem coragem. Os apóstolos também tiveram suas dúvidas, principalmente quando Ele ressuscitou. Mas Cristo se recusou a deixá-los a sós com suas perguntas.

Seu rosto é marca d’água em mais histórias do que você pode imaginar. Jesus é Noé, salvando a humanidade do desastre; Abraão, o pai de uma nova nação; Isaque, posto no altar por seu pai; José, vendido por um saco de prata; Moisés, chamando escravos à liberdade; Josué, apontando na direção da terra prometida.

Não deixe passar despercebida a conexão causal de Cristo entre o medo e a dúvida. Medos não-respondidos criam discípulos fracos. Não é à toa que Cristo faz de nossas hesitações sua maior preocupação.

As perguntas podem nos levar a se esconder. Entretanto, a caverna não tem respostas. Cristo distribuiu coragem pela comunidade; dissipa dúvidas pela comunhão. Ele nunca deposita todo o conhecimento em uma pessoa, mas distribui pedaços do quebra-cabeça a muitas. Quando você conjuga o seu entendimento com o meu, e compartilhamos nossas descobertas com eles... Quando nos reunimos, misturamos, confessamos e oramos, Cristo fala.

A união dos discípulos nos instrui. Eles ficavam juntos. Não é a imagem da igreja – compartilhando notas trocando idéias, discutindo possibilidades, elevando os espíritos? E ao fazê-lo, Jesus apareceu para ensinar-lhes, provando que “onde se reunirem dói ou três em meu nome, ali eu estou no meio deles” (Mateus 18:20).

E, quando Ele fala, compartilha sua própria história. A terapia de Deus para os que duvidam é a sua própria Palavra. “A fé vem por se ouvir a mensagem, e a mensagem é ouvida mediante a palavra de Cristo” (Romanos 10:17). Então a escute.

Ele lhes disse: “Por que vocês estão perturbados e por que se levantam dúvidas no coração de vocês?” (Lucas 24:38).

07 maio 2010

Eu Te Amo.


Ele enfermou para que fôssemos curados.

Foi tido como rejeitado por Deus para que fôssemos aceitos por Deus.

Se fez pecado para que fôssemos perdoados.

Se angustiou para que tivéssemos paz.

Perdeu tudo para que nos encontrássemos.

Se calou para que fôssemos justificados.

Se tornou ninguém para que fôssemos alguém.

ELE MORREU PARA QUE VIVÊSSEMOS!


Jesus nos substituiu, mas agora nós temos que imitá-Lo.

05 maio 2010

"A Liga"

Engraçado... depois de algumas horas na rua, o que é normal pra gente? Pra onde é normal irmos? Pra casa, dar uma aliviada, esticar as pernas e tomar um bom banho...normal, uma rotina tão simples, mas vendo o novo programa da Band "A liga", me mostrou o quanto nós temos algumas coisas invisíveis a nossa volta, o quanto nós estamos “anestesiados” a certos absurdos.

Logo eu me coloco a pensar no que Jesus faria nesse caso, quantas vezes nós que dirigimos, mentimos no trânsito, quando algum pedinte vem, eu costumo dizer “o grande, vou ficar devendo...” e isso me pesa a consciência, é claro, temos opiniões adversas a “esmola”, tenho relatos de amigos que não dão porque já presenciaram frases sobre o que os pedintes fariam com o dinheiro, no último sábado eu dei uma saída, fui almoçar em uma padaria em Jundiaí-SP mesmo, entrando na padaria eu vi um carinha, não me pediu nada e tal, ok, almocei e a vida continuou. Indo pra união de jovens mais tarde, eu vi esse mesmo carinha, parado ali na frente do terminal Vila Arens no frio e de bermuda e só 1 tênis no pé e o outro pé descalço, eu dei dinheiro pra ele, de coração e de repente eu lancei dentro do carro pra Stella “não vai fazer falta pra mim, mas faz muita diferença pra ele” . E hoje, uma frase solta no meio do programa me espantou “eu não quero nada de vocês, eu sou uma pessoa que Deus mandou...” disse um senhor que chamou esses mendigos (um dos mendigos era o Rafinha Bastos – CQC) e cara, eu tenho certeza que se pudéssemos nós ajudaríamos essas pessoas de uma forma inimaginável. A nossa ingratidão às vezes acaba com tudo, aquele vídeo (http://www.youtube.com/watch?v=Uj02FH7GKhg) que vimos nos jovens, será que não estamos pedindo demais? O que nós temos não nos basta? Acho que é chegado o momento de olharmos ao redor e ver tudo o que Deus tem feito e pedir sim, força e capacidade para saber como lidar com uma série de situações que nós ainda não fomos obrigados a bater de frente, afinal, as pessoas que estão nas ruas continuam sendo pessoas, tendo sonhos, planos, é tudo igual, só que nós temos estrutura, o que pra nós é absolutamente normal, pra eles é um grande sonho. Precisamos pedir pra Deus nos dar mais sensibilidade pra lidar com essa situação e que nós não sejamos mais uma pessoa anestesiada em meio a multidão. Devemos agradecer o que Deus nos dá, nos sustenta.

Que Deus nos separe em meio à multidão e nos dê a capacidade de fazer diferença, porque de pessoais iguais, o inferno deve estar cheio.


Ricardinho


REVOLUTION

03 maio 2010

Capítulo 11 - Medo do quem vem por aí


Salve, pessoal. Vamos continuar na leitura. Está quase acabando. Aqui vai o 11º capítulo:

Capítulo 11 – Medo do que vem por aí (João 14:27)

A vida é cheia de surpresas. Mudanças, transições, alterações. São tantas ! Algumas são bem-vindas, outras não. E nessas raras épocas em que você acha que o mundo se acalmou, cuidado! Nunca se sabe o que vem por aí. Que pessoa passa por toda a vida sem surpresas? Se você não quer mudanças, vá à uma máquina de refrigerantes; só lá você não encontrará mudanças.

Leia Eclesiastes 3: 1-8. Lá, Salomão escreve em palavras humanas algumas de nossas fases terrenas. “Tempo de plantar, tempo de colher”, “Tempo de chorar, tempo de rir”, “Tempo de procurar, tempo de desistir”. Há 28 ‘tempos’ diferentes. Apenas um resumo.

A mudança deixa nossa vida de cabeça para baixo e, quando o faz, Deus envia alguém especial para nos estabilizar. “Mas o Conselheiro, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, lhes ensinará todas as coisas e lhes fará lembrar tudo o que eu lhes disse. Deixo-lhes a paz; a minha paz lhes dou. Não a dou como o mundo dá. Não se perturbe o seu coração, nem tenham medo” (João 14: 26,27).

Anteriormente, Jesus tinha dito: “E eu pedirei ao Pai, e Ele lhes dará outro Conselheiro para estar com vocês para sempre” (João 14: 16). “Outro conselheiro”. Do grego, allos parakletos, que podemos traduzir semanticamente como “um intercessor, advogado, aquele que fortalece, que está por perto, amigo, ajudante... exatamente igual ao primeiro”. Não é um ‘totalmente diferente’ mas sim um ‘exatamente igual ao primeiro’. Quem é o primeiro? Jesus! Ele é a presença de Jesus com e nos seguidores de Jesus. Nunca enfrentaremos o futuro sem ajuda dEle. Quando você põe sua fé e Cristo, Cristo põe seu Espírito antes de você, atrás de você e dentro de você. Não um espírito estranho, mas o mesmo Espírito: o parakletos.

A mudança não é só uma parte da vida; a mudança é uma parte necessária da estratégia de Deus. Para nos usar para mudar o mundo, ele altera nossas incumbências. Mudou Davi de pastor para rei. Pedro de pescador à fundador da primeira igreja. Maria de camponesa à mãe de Cristo. Mas alguém pode perguntar: e as mudanças trágicas que Deus permite? Devastações feitas por terremotos, chuvas e enchentes, tsunamis e outros. Deformidades em uma criança, deficiências, perdas. Esses momentos têm algum propósito? Têm se os observarmos de uma perspectiva eterna. O que não faz sentido nessa vida vai fazer todo o sentido na próxima. Exemplo? Você no ventre: cada dia na gestação lhe preparou para sua vida na terra. Olhos, boca e nariz não faziam o menos sentido dentro da barriga de sua mãe. Eles foram formados para que você sobrevivesse lá dentro? Acho que não.

Mas e se a terra for o nosso útero? Será que esses desafios, por mais perversos que possam ser, servem para nos preparar para o mundo que virá? Paulo escreve isso em 2 Coríntios 4:17. E fica aqui também a mensagem de Jesus: “Deixo-lhes a paz; a minha paz lhes dou. Não a dou como o mundo dá. Não se perturbe o seu coração, nem tenham medo” (João 14: 27).

Fiquem nessa paz.

Abraços do Galho, boa semana.