27 agosto 2008

Palavra do Dia, por Alaina Alves


“À vida falta uma parte

-seria o lado de fora-

pra que se visse passar

ao mesmo tempo que passa

e no final fosse apenas

um tempo de que se acorda

não um sonho sem resposta

à vida falta uma porta.”

(Ferreira Gullar –Versos de Entreter-se)


Quantos jovens e adolescentes esperam por esta porta que a vida tanto lhe falta mostrar? Quantos lutam por chances no mercado de trabalho, por oportunidades de cursar uma faculdade, enfim, quantos não almejam ser simplesmente reconhecidos (conhecidos?) no ambiente que freqüentam e, não obstante, em seu próprio lar? Quantos não vivem um “sonho sem resposta”?

Em uma pesquisa de campo da faculdade pude constatar que por mais terrível que seja esta realidade, da maior parte do nosso país, os jovens estudantes de escola pública sonham com um futuro melhor. Tal pesquisa abordava, entre outras questões, o tema “Violência escolar”* e qual era a posição dos membros da diretoria frente a este problema que tanto preocupa pais, alunos e educadores. Acreditamos que atos violentos podem ser tanto físicos quanto verbais, sendo este último o mais recorrente e o menos solucionado, uma vez que palavras ditas ferem demasiadamente mais que qualquer outro tipo de ato físico. Ao finalizarmos a pesquisa constatamos o impasse em virtude de divergentes opiniões entre alunos e direção, onde por mais gritante que fosse a violência naquele estabelecimento os diretores afirmavam que nada, em nome de sua instituição, ocorria.

Como enfrentar esta realidade? Como solucionar estes problemas se os mais interessados não se dispõem a conversar sobre, a pensar modos de solucionar tais comportamentos desrespeitosos? Como termos esperança de um futuro melhor onde nossos sonhos possam ser cultivados e realizados dia após dia? Apesar de sentir-me “pequena” se comparado com tais sentimentos que venho a sentir quando discorro sobre tal assunto, não deixo de me reconfortar quando lembro dos jovens que entrevistei. Jovens os quais mesmo enfrentando todos os tipos de dificuldades e a constante falta de oportunidades não desistem de melhorar, não tudo o que poderiam melhorar, mais sim aquilo que lhes é seu por direito: sua vida.

Não sei o que os move, mas a nós jovens cristãos é Jesus. Com ele não nos falta “uma parte”, nem de dentro e nem do “lado de fora”, somos um só que ,ao dormir e acordar, temos a certeza de não estarmos vivendo “um sonho sem resposta”, na certeza de encontramos sempre “uma porta aberta” por graça e louvor a Seu nome. Oro para que estes jovens encontrem esta “porta” também.



Alaina Alves



*Dica de filme: “Pro dia nascer feliz”- Diretor João Jardim

3 comentários:

João Luis Calliari Poesias disse...

Alaína,
os olhos de um poeta
agradecem
quando avistam tamanha beleza
em forma de loira menina...
www.jlcalliaripoesias.blogspot.com

Pr.Clésio disse...

Alaina,

Graça e paz! Muito boa sua iniciativa de escrever em nosso blog, um bom texto e bem atual. Muito obrigado. Incentivo você a escrever outros e que outros jovens façam o mesmo.
O texto é reflexivo e de suma importância para sabermos onde está o coração e esperança de nossa juventude!
Um abraço!
Pr.Clésio

Anônimo disse...

espero que eles encontre ELE tambem!


abraço.
nilo!